Postagens populares

domingo, 2 de outubro de 2011

Geração de 45 - Características - Clarice Lispector

A geração de 45 – Características
1. Características da prosa pós-moderna
É na prosa que se observa a única possibilidade de  afirmar a existência de uma terceira fase
modernista, já que os romances produzidos dão sequência às tendências da geração anterior, mantendo um prosa urbana, intimista e outra, de vertente regionalista. As variações se apresentam por meio de uma renovação formal e a marca de investigação dos comportamentos e atitudes do ser humano. Como diferença, esses autores não se mostram preocupados com o contexto sociopolítico, privilegiando a análise da natureza humana em vez da sociedade em que vive.
Assim, existe a busca por uma literatura intimista, introspectiva, repleta de sondagens do
subsconsciente das personagens.  O próprio regionalismo é reinventado e contado sob nova perspectiva, adquirindo uma nova dimensão, recriando costumes e falas sertanejas, mergulhando rumo ao psicológico do homem do sertão. Se antes o sertão estava dentro dos personagens, agora é o interior da personagem que faz do mundo um imenso sertão. A preocupação com a linguagem, a criação e a precisão das palavras é uma das principais características do período, chegando mesmo a alguns críticos classificaram os
autores da geração como instrumentalistas, em referência ao uso da palavra como instrumento de expressão estética. 
As narrativas são interiorizadas, marcadas pelo fluxo de consciência das personagens e sua fusão com o discurso do narrador, em uso contínuo do discurso indireto livre. Outras vezes, encontramos uma narrativa confessional, em primeira pessoa, na qual há praticamente uma relação emotiva com o leitor. A escrita aproxima-se da poesia, com grande lirismo, buscando recursos típicos da poesia para uso na prosa, como rimas, preocupação rítmica, uso de aliterações, criação de vocábulos, entre outros.

Clarice Lispector _ ( 1926 – 1977 ) Características
1.       Estreou em 1944 com o livro “Perto de um coração selvagem”.
2.       Tornou-se uma das mais importantes escritoras brasileiras, mas inicialmente foi mal compreendida pela crítica, introduzindo técnicas de expressão novas.
3.       Sua estrutura subverte com freqüência a estrutura dos tradicionais gêneros narativos ( o conto, a novela, o romance)
4.       Aderiu ao fluxo de consciência que é mais radical que a introspecção psicológica.
5.       O que é epifania no texto literário?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário